5 filmes de terror baseados em fatos

5-filmes-de-terror-baseados-em-fatos-1

Quem nunca assistiu a um filme iniciado com uma voz ou um letreiro bem grande dizendo, “Baseado em Fatos Reais”. Seja um drama, terror, suspense, biografia ou uma simples aventura, é uma frase que automaticamente causa um forte impacto, que prende a atenção e cria muito mais expectativa. Sabendo disso, muitos diretores usam essa frase como chamariz e atrativo, mesmo o filme não tendo sido baseado ou inspirado em nenhum caso real, vivido ou documentado, como exemplo temos o clássico “O Massacre da Serra Elétrica (The Texas Chainsaw Massacre)” de 1974, que logo ao inicio uma voz um tanto quanto tenebrosa com um texto ao fundo, dava o prelúdio de um falso crime bizarro no estado do Texas nos Estados Unidos: “…The events of that day were to lead to the discovery of one of the most bizarre crimes in the annals of American history, The Texas Chain Saw Massacre”. Porém nada disso era real, nunca houve uma família de canibais e nem um maluco quem matava com uma serra no estado texano, mas em 1974 não tínhamos internet, as informações demoravam a chegar e mesmo hoje, muitos ainda pensam que o filme narra cenas de um crime real. Mais recentemente tivemos o terror de Oren Peli “Atividade Paranormal (Paranormal Activity)” de 2009 que logo ao inicio o narrador agradece a família das vitimas pela liberação das imagens e alerta ser propriedade do estado e da policia.

Dizer “Baseado em Fatos Reais” é o mesmo que dizer “Subir para cima” ou “Entrar para dentro”, pois todo fato é real, não existe um “Fato Irreal”, se for “Irreal” não é fato. Por tanto, o correto é “Baseado em Fatos”.  

Sabemos que existem diversos filmes de terror inspirados e baseados em fatos, mas você sabe até que ponto a verdade cede lugar a ficção? Essa é a duvida de muitas pessoas, por isso a República do Medo trás uma lista com 05 filmes de terror baseados em fatos e explicamos a você o que realmente é fato e o que não passa de invenção.


-05-

A Hora do Pesadelo (1984)

Direção: Wes Craven

No filme: Um homem que molestava crianças em uma vizinhança é levado a julgamento, porem não é condenado, os pais das crianças se reúnem e decidem queimar o homem vivo. Anos depois ele retorna em busca de vingança, com a pele ligeiramente queimada e portando uma luva com dedos de navalha o terrível assassino Freddy Krueger irá torturar e matar cada criança e fazer seus pais pagarem por te-lo queimado, mas o único detalhe é que ele buscará cada jovem em seus sonhos.

Nancy Thompson (heather langenkamp) em “a hora do pesadelo” de 1984

Tido como obra prima e um dos maiores clássicos do gênero terror, “A Hora do Pesadelo”  foi escrito e dirigido por Wes Craven e transformou o assassino Freddy Krueger no ícone que é hoje. O filme conquistou um grande publico e rapidamente tornou-se uma franquia com 9 filmes no total (incluindo Freddy vs Jason).

Com uma receita de US$ 1,5 milões, “A Hora do Pesadelo” de 1984 arrecadou mais de US$ 25 milhões pelo mundo.

O filme marca o primeiro papel do ator Johnny Depp nos cinemas e sua morte é até hoje uma das mais icônicas já vistas nas telonas.

Na realidade: Pode parecer galhofagem dizer que o filme “A Hora do Pesadelo” foi baseado em fatos, mas veja bem, dizer que foi baseado, não quer dizer necessariamente que é uma recriação total do fato, nesse caso o fato serviu apenas de inspiração.

Na verdade há dois fatos básicos que inspiraram o filme. O primeiro foi a figura icônica que conhecemos hoje como Freddy Krueger, ele não nasceu ocasionalmente ou espontaneamente na cabeça de Wes Craven, na verdade ele foi uma espécie de trauma daqueles que carregamos desde a infância, pois quando o diretor era pequeno, ao olhar pela janela de sua casa um certo dia, pode ver pela vidraça um homem tenebroso parado na rua, com um chapéu e vestindo uma camisa listrada (preta e vermelha), encarava o menino o tempo todo, Wes disse que foi apenas um momento, algo bem rápido e aparentemente insignificante, mas que durante toda sua vida levou aquela imagem consigo o que serviu de base para o assassino dos “dedos de navalha” que temos hoje. Outro fato que inspirou diretamente o filme foi uma doença que acometeu um grupo de refugiados do Camboja durante os anos 70, eles relatavam ter diversos pesadelos durante o sono, alguns se recusavam a dormir, aos poucos membros desse grupo começaram a morrer em quanto dormiam o que intrigou os medicos, pois a causa real das mortes nunca foi descoberta, a doença de chama “Síndrome da Morte Súbita Asiática” e a reportagem correu o mundo o que chamou a atenção do diretor que tratou de adaptar isso para um filme de terror.


-04-

Horror em Amityville (1979)

Direção: Stuart Rosenberg

No filme: Sem nenhum motivo aparente, pai, mãe e seus quatro filhos são assassinados por um dos filhos do casal, um ano depois a família Lutz compra a residência onde os crimes brutais ocorreram e gradativamente percebem que algo sobrenatural está presente ali, perturbando a família e mexendo com a cabeça de todos.  “Horror em Amityville” de 1979 foi baseado no livro de Jay Anson, que por sua vez se inspirou no caso real da família DeFeo, por tanto é uma obra baseada em outra obra. O filme recebe uma crítica bem controversa, muitos o acham monótono, repleto de cenas desnecessárias e com uma grande falta de terror e suspense em suas quase duas horas de película. Já outros concedem a esse filme o status de clássico cult, elogiando a forma como o filme desenvolve as relações de maneira lenta e real, se esquivando de efeitos especiais exagerados, tendendo para o lado psicológico, se apoiando totalmente em uma ótima trilha sonora.

imagem do filme “horror em amityville” de 1979

Curiosamente há quem diga que Stephen King baseou-se no personagem de George Lutz para desenvolver o seu Jack Torrence em “O Iluminado”, algo meio enviável já que ambos os livros, tanto de Stephen King como de Jay Anson foram lançados no mesmo ano (1977). Outro rumor diz que a trilha sonora desse filme foi feita inteiramente para o clássico “O Exorcista” de 1973, mas recusada pelo diretor William Friedkin e reaproveitada por Stuart Rosenberg seis anos depois.

Bom, independente do filme ser bom ou não, ele deu origem a diversas outras sequencias e a um remake, recentemente o caso foi brevemente retratado no excelente terror de James Wan “Invocação do Mal 2 ( The conjuring 2) e planos para um novo filme ecoam pelos corredores de Hollywood a um certo tempo.

Realidade: O caso Amityville é um dos mais famosos do mundo, pela brutalidade de seus crimes, pelos fatos inexplicáveis e por toda mídia criada ao redor desse fato, sendo assim vamos estabelecer uma ordem cronológica dos acontecimentos para tentarmos entender melhor como tudo aconteceu sem influencia de nenhum material ficcional.

Os cinco filhos do Casal Defeo. No canto inferior direito Ronald Jr

Em 1965 a família DeFeo se muda para a Avenida Ocean, 112 em Long Island, Nova Iorque. Ronald DeFeo, vendedor de carros de 43 anos, Louise DeFeo, dona de casa de 42 anos e seus 5 filhos (Ronald Jr. 23, Dawn. 18, Allison. 13, Marc. 12, e John de 9 anos).

O primeiro fato que a maioria dos filmes não retrata é a personalidade do filho mais velho da família DeFeo, Ronald Jr. O garoto que tinha 23 anos na época em que cometeu os crimes, era usuário de drogas, cometia diversos furtos para sustentar seu vicio e vivia em atritos constantes com seu pai, pois o mesmo não aceitava as condições do filho.

No dia 13 de novembro de 1974, por volta das 3 da manhã Ronald DeFeo Jr. atirou e matou toda sua família em quanto dormiam, utilizando o rifle esportivo Martin 336c calibre .35, Ronald Jr disparou 2 tiros em seu pai e 2 em sua mãe, já seus 4 irmãos foram mortos com 1 tiro cada. Por volta das 3:30 da manhã o garoto entrou no Henry’s Bar (um bar próximo a sua casa) e disse: “Vocês tem que me ajudar! Acho que minha mãe e meu pai foram baleados!”. Os presentes no bar acompanharam o garoto até sua residencia onde constataram os homicídios, a policia foi acionada e Ronald Jr foi conduzido a delegacia, porem após diversas contradições em suas versões ele finalmente confessou o crime: “Tudo aconteceu tão rápido, eu simplesmente não conseguia parar, quando comecei!”. Em uma de suas versões o jovem tentou enganar a policia dizendo que sua família havia sido assassinada por membros da mafia, a influencia de drogas foi um dos fatores considerados pela policia no ato dos crimes. Ronald Joseph Defeo Jr, foi diagnosticado com diversos transtornos de personalidade e o uso de heroína e LSD culminaram para que o mesmo cometesse um crime tão brutal contra sua família, o estado de Nova Iorque o considerou culpado em seis acusações de homicídio de segundo grau e o sentenciou a seis penas de 25 anos de prisão. Atualmente segue no Green Haven Correctional Facility em Beekman, Nova Iorque, com 64 anos teve todos os seus pedidos de condicional negados.

Muita controversa circula esse caso, principalmente pela forma que o mesmo ocorreu e por sua conclusão questionável, os investigadores concluíram que todas as vitimas foram assassinadas em quanto dormiam, não havia sinal de luta nem vestígio de sedativos encontrados junto aos assassinados, por tanto como seria possível que todos os membros da família fossem mortos um a um sem que o outro acordasse, uma carabina com um calibre .35 emite uma som estrondoso e certamente iria levantar suspeitas não só das demais pessoas na casa como da vizinhança, mas aparentemente nenhum ruido foi ouvido, o que abre a hipótese de que mais de uma pessoa teve participação nos crimes. Em todo esse período em que permanece preso, Ronald Jr deu diversas verões de como matou sua família, mas em 2000 Ric Osuna, autor de “A Noite de Horror dos DeFeo” entrevistou Ronald Jr, o mesmo alegou a Ric ter cometido os crimes por desespero e teve a participação da sua irmão e mais duas pessoas não identificadas, e essa alegação é fortemente considerada, pois além de Ronald Jr, Dawn erá a unica pessoa com vestígio de pólvora em sua roupa, segundo ele o plano seria matar apenas os pais, porem Dawn matou os outros 3 irmãos na tentativa de eliminar testemunhas,  Ronald ficou enfurecido com a irmã e após uma discussão a matou também,  já as duas outras pessoas citadas não puderam prestar declarações, pois uma morreu em 2001 e a outra segue no programa de proteção a testemunha.

A Família Lutz

Um ano depois dessa increível chacina, mais exatamente em 1975 a família Lutz se mudou para a casa, dizendo não importar-se com os crimes cometidos, George e Kathy Lutz e seus três filhos (Daniel 9, Cristopher 7 e Missy de 5 anos). Mesmo não importando-se com o ocorrido a família que era religiosa pediu a presença de um padre para abençoar a casa, algo que certamente não deu resultado, pois eles permaneceram apenas 28 dias na residencia, deixando a casa e todos seus pertences para trás, relatando que haviam vivenciados diversos fenômenos paranormais durante a permanência na residência. Centenas de moscas tomavam conta da casa e desapareciam, janelas e portas batiam sem motivo ou influência algum, barulhos, passos, vozes, tiros e aparições foram algumas das experiencias relatadas pela familia Lutz, até mesmo mãos e braços os arranhavam em quanto dorminam. Após todo o alvoroço a mídia sensacionalista da época tratou do caso e chamou a atenção de diversos demonólogos e investigadores paranormais, inclusive os famosos Warrens, que rapidamente trataram de investigar a residência em amityville e segundo Lorraine Warren, ela e o marido sofreram fortes influências paranormais durante suas investigações e até hoje ela afirma que a casa em amityville é mal assombrada. Após os Lutz a casa serviu como circo por certo tempo, mas posteriormente foi revendida, os novos moradores permaneceram nela por anos e não relatam nenhum tipo de caso ou fenômeno durante o tempo que permaneceram. Daniel Lutz lançou recentemente um documentário intitulado “Meu Horror em Amityville” e conta suas experiências pessoais vivencias na casa quando tinha apenas 9 anos. A pouco tempo a residência foi revendida por aproximadamente 950 mil dólares, e seus novos moradores não relataram qualquer tipo de manisfetação desde que adquiriram a nova propriedade.


-03-

O Exorcista (1973)

Direção: William Friedkin

No filme: A atriz Chris MaCnil percebe que sua filha tem apresentado comportamentos estranhos, após procurar por ajuda médica e não obter resultado a mulher se vê desesperada a medida que a conduta de Regan e os fatos ficam cada vez mais inexplicáveis. Sem alternativa ela procura a ajuda de um padre que após visitar Regan evidencia que a garota está sob influência e possessão de um demônio e rapidamente reúne provas e solicita junto a igreja um especialista em exorcismo, agora o padre Karras com a ajuda do Padre Merrin tentam expulsar esse demônio da garota e lutar contra uma força puramente maligna.

Nunca na historia do cinema um filme causou tanto alvoroço e histeria durante seu lançamento, pessoas deixavam as salas de cinema em prantos, desmaios e até mesmo relatos de ataque epilético foram retratados na época. O cinema nunca antes havia encarado de frente algo tão impactante para o sociedade, foi como encarar o mal nos olhos pela primeira vez. Sem duvida esse é um doa maiores e mais importantes filmes, não somente para a industria do terror mais para o cinema em si, indicado ao Oscar em 10 categorias, foi o único filme com elementos puramente de terror que alcançou essa marca. Com uma excelente direção e detalhes técnicos e visuais impressionantes “O Exocista” foi um marco e estabeleceu novos conceitos para o Cinema/Terror que temos hoje.

Imagem da garota Regan (linda blair) no filme “O exorcista” de 1973

O filme também se destaca por diversos acontecimentos estranhos durante as filmagens, geralmente com os atores e a equipe técnica, acidentes como lustres caindo do teto, lampadas e focos estourando sem explicação, perca de polegar e quedas e até algumas lesões graves, também foram registradas algumas mortes com pessoas ligadas ao filme ou amigos e parentes próximos como o ator Jack MacGowran que logo no inicio do filme morre ao cair de uma escada com seu pescoço quebrado, vindo a falecer uma semana após filmar essa cena por conta de uma pneumonia. O irmão do ator que interpreta o padre Merrin também morreu durante as filmagens, a esposa de um assistente de câmera perdeu o bebê e um técnico responsável por refrigerar o quarto onde ficava a garota Regan morreu sem explicação alguma no set de filmagens, esses são alguns dos fatos estranhos que circulam o filme e sua produção.

Realidade: No filme de 1973 tudo se passa com a garota Regan de 12 anos, mas na realidade a vitima era um garoto de 13 anos, e não se sabe ao certo qual era seu nome real, já que a igreja católica alterou vários nomes e localidades dos registros para proteger a identidade dos envolvidos, por isso acreditasse que seu verdadeiro nome era Robbie Manheim, mas nos diários e arquivos oficiais ele é chamado de Ronald Doe. O garoto era filho único e super protegido, sua unica relação mais próxima era com sua tia (em alguns arquivos é retratado como tio) e ambos eram muito ligados, apesar de pertencer a uma família católica, sua tia era espirita e presenteou Ronald com uma tabua Ouija (para se comunicar com os mortos) e logo depois (1948) veio a falecer, o garoto então passou a usar a tabua ouija para “comunicar-se com sua tia”.

exorciste-1973-tou-11-g
Jason Miller (padre karras), William Peter Blatty (autor do livro o exorcista em 1971) e a atriz Ellen Burstyn (Chris MaCneil)

Posteriormente coisas estranhas começaram a ocorrer na casa de Ronald, barulhos durante a noite, passos, ratos, moveis movendo-se de lugar, alem do comportamento do garoto que ficou cada vez mais estranho e insustentável. Como medida os pais levaram Ronald até um padre conhecido e os mesmo achou melhor conduzir o garotos para o hospital, realizar teste e fazer uma avaliação psiquiátrica, porem tudo em vão, os exames não acusaram nada e os psiquiatras não obtiveram respostas. Em fevereiro de 1949 Ronald  estava amarrado em sua cama devido ao seu comportamento agressivo e o padre que o acompanhava desde de o incio dos eventos dormia na poltrona ao lado, nesse dia os eventos mais graves começaram a acorrer, pois segundo relato naquela noite Ronald falava em latim com uma voz completamente anormal, o famoso vomito verde foi presenciado pelo padre e moveis e objetos eram movidos com a mente no quarto do garoto. Desesperados os pais de Ronald, juntamente com o padre o levaram para avaliação de um padre especializado em exorcismo em uma universidade religiosa, porem na primeira sessão, não se sabe de que maneira, o padre chamado para ajudar se feriu gravemente e Ronald foi levado de volta para sua casa. Em casa o comportamento do jovem piorava e sua condição de saudade também, mais durante os dias que se passaram mais padres envolveram-se no caso e um deles conseguiu a permissão da igreja para realização de um exorcismo. Foram 30 dias de sessões, na pele do garoto podiam ser vistos imagens profanas escritas sob a pele, alguns padres ficaram feridos, mas no 30º dia de exorcismo (18 de abril), Ronald acordou dizendo não se lembrar de nada.

O caso foi registrado em um diário pelos padres envolvidos, esse diário serviu de material e inspiração para William Peter Blatty escrever o livro “O Exorcista” em 1971. Posteriormente William Friedkin adaptou a obra para o cinema (1973) e o resultado foi um dos maiores clássicos do terror.

Segundo relato, o garoto Ronald Doe nunca mais foi atormentado novamente, hoje ele é casado tem filhos, netos e uma bela família.


-02-

Invocação do Mal (2013)

Direção: James Wan

No filme: Um casal se muda para sua nova casa com suas cinco filhas, porem desde o incio coisas inexplicáveis acontecem envolvendo a família, temendo por suas vidas e de suas filhas o casal busca a ajuda dos investigadores paranormais, Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga) que mesmo relutantes decidem ir até o local para averiguar a situação, após entrarem na casa percebem que a família está sendo atormentadas por diversos espíritos malignos que estão na casa e mesmo que a deixem, esses espíritos os acompanhariam. Eles então decidem ajudar a família, porem não imaginam quão poderosa é a força que está lá dentro.

a família perron no filme “invocação do mal” de 2013

O mundo do terror se encantou em 2013 com “Invocação do Mal”, o filme consagrou de vez o diretor James Wan como queridinho de Hollywood e a partir dai seu nome passou a ser associado a qualidade.

Quando comparamos algum tipo de fato, seja de um crime ou relato de aparições ou manifestações sobrenaturais com uma obra ou filme baseado  em tal, temos que levar em consideração a romantização empregada pelo autor, algo controverso, porem compreensível, já que nem sempre a ordem em que os fatos ocorreram vendem um bom material, e o caso “Harrisville” é um exemplo mais claro disso, pois no filme de James Wan, temos aproximadamente 110 minutos de película e a linha do tempo em que tudo ocorre é ridiculamente pequena, se levarmos em consideração que no caso verdadeiro a família foi atormentada por quase 10 anos.

Realidade:  Primeiramente devemos ressaltar o tempo real dos fatos, pois no filme sabemos como tudo surge e acontece de maneira extremante rápida, porem na realidade a família Perron foi atormentada pelos espíritos e assombrações por aproximadamente 10 anos, e se tudo que eles relataram e documentam estivesse no filme, renderia algo um pouco maior que a trilogia “Senhos do Anéis”.

a família perron em sua residência em harrisville em 1970

Em 1970 Roger e Carolyn Perron compraram a fazenda Arnold em Harrisville, Rhond Island. Construída em 1736, contava com 10 quartos e um vasto terreno com espaço de sobra para uma família grande como os Perron. Desde de o primeiro dia na casa eles souberam que algo estava errado, mas as manifestações começaram de maneira calma, primeiramente fantasmas e aparições sem formas podiam ser avistados pela casa, as meninas relatavam que podiam ver e sentir a presença de um senhor, um fantasma que cheirava a flores, também relatavam uma menina que as observavam brincar e outra que as beijavam antes de dormir. Carolyn sempre escutava barulhos na cozinha de pessoas varrendo o chão e mexendo nas coisas, e quando entrava encontrava tudo fora do lugar, e por vezes até o lixo na pá esperando par ser depositado na lixeira. E assim foi nos primeiros meses, aparições ocasionais, coisas movendo-se de lugar ao ponto que todos já haviam se habituado com as presenças inofensivas na casa, mas com o tempo essas presenças cederam lugar a outros tipos de manifestações e a família passou a ver e sentir algo muito mais pesado e maligno na casa, aparelhos elétricos deixavam de funcionar sem explicação, quadros caiam a todo tempo da parede, objetos eram arremessados e quebrados, a cama das meninas levitava e caia durante a noite, manchas na pele de Carolyn, as meninas eram beliscadas e tinham seus cabelos e pés puxados durante a noite, dentre outras coisas que atormentaram a família nos anos seguintes. Apesar dos muitos relatos de diversos espíritos e fantasmas que assombraram a família durante seus quase 10 anos ali, houveram dois espíritos ou entidades que os Perron relatam ser os piores e mais malignos, um deles é Bathsheba Sherman, descrita como bruxa satanista, viveu e morreu na fazenda no seculo 19 exatamente como descrito no filme, enforcada em uma arvore, os relatos da aparência física da bruxa é assustador, com o rosto cinza e a pele como uma colmeia de abelhas. Outra entidade foi revelada recentemente em entrevista concedida por uma das filhas do casal Perron, durante o lançamento do seu livro ela revelou que havia uma presença ali na casa que nunca antes fora mencionada e que ela mesma não queria falar muito, mas disse que ser algo maligno demais para estar sozinho com garotas tão inocentes.

a fazenda Arnold por volta de 1885. Acreditasse que Bathsheba Sherman está nessa foto

Os anos se passaram e a família Perron aprendeu a conviver com toda essa loucura, já que não tinham alternativa, nem mesmo para onde ir, pois todo o dinheiro da família estava investido na casa, alias, com o tempo eles começaram a estudar cada entidade,e descobriram que cada um deles havia vivido, trabalhado ou estado ali no passado.

Depois de um longo período a situação passou a ficar insustentável, desesperados e preocupados com sua mãe que já sofria forte influencia da bruxa Bathsheba Sherman, os filhos buscaram ajuda dos Warren, que viajavam dando palestras e seminários pelos EUA. Assim que o casal entrou na residencia, percebeu que algo maligno estava ali, porem o foco era totalmente em Carolyn, cujo qual acreditavam estar sob possessão de algo não humano. Os Warren conseguiram liberação da igreja e iniciaram um ritual de exorcismo, porem quanto mais tentavam e quanto mais permaneciam na residencia, pior as coisas ficavam. Sendo assim Roger Perron pediu que Ed e Lorraine Warren fossem embora, pois temia pela vida de sua esposa e filhas. Assim que os Warren partiram, a permanência na casa ficou impossível, obrigando a família a partir, deixando tudo para traz.

Após se mudarem a família Perron nunca mais foi atormentada novamente, as filhas do casal escreveram diversos livro e ainda hoje dão palestras sobre o ocorrido.

Os Warren relataram que o caso Harrisville foi um dos piores dentro os mais de 10 mil que já investigaram e lamentaram não ter conseguido ajudar a família como gostariam.

A fazenda em Harrisville foi vendida na década de 80 e seus proprietários relataram  passar por algumas experiencias sobrenaturais lá, porem o pior tem sido o assedio por curiosos após o filme de 2013.

A boneca Annabelle mostrada no filme, pertence a outro caso envolvendo os Warren e não tem ligação alguma com o caso em Harrisville.

O tumulo de Bathsheba Sherman ainda é bastante visitado por turista em Rhode Island.


-01-

Zodíaco (2007)

Direção: David Fincher

 No filme: Em agosto de 1969 três cartas diferentes chegam aos jornais San Francisco Chronicle, San Francisco Examiner e Vallejo Times-Herald, enviadas pelo mesmo remetente. A carta enviada ao Chronicle trazia a confissão de um assassino e as três juntas formavam um código que supostamente revelaria a identidade do criminoso. O assassino exigia que as cartas fossem publicadas, caso contrário mais pessoas morreriam. Um casal de Salinas consegue decodificar a mensagem, mas é Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), um tímido cartunista, quem descobre sua intenção oculta: uma referência ao filme “Zaroff, o Caçador de Vidas” (1932). Os assassinatos e as cartas se sucedem, provocando pânico na população de San Francisco.

Os atores Mark Ruffalo (Inspetor David Toschi) e Jake Gyllenhaal (Robert Graysmith) em Zodíaco de 2007

Sem duvida “Zodíaco” é o melhor de todos os filmes da lista falando em termos técnicos. Com um excelente roteiro e um elenco talentosíssimo com nomes como: Jake Gyllenhaal, Mark Ruffalo, Robert Downye Jr. e Adam Goldberg, consegue atrair destaque tanto pela atuação quanto pela excelente direção de David Fincher que na época já tinha no currículo trabalhos como “Seven – Os Sete Crimes Capitais” de 1995 e “Clube da Luta” de 1999. Muito bem criticado, atualmente tem uma avaliação de 89% no Rotten Tomatoes e 78 no Metacrític. Com uma receita superior a US$ 84 Milhões.

O filme também foi responsável por diversas descobertas recentes para o caso, devido a todo estudo realizado a policia das cidades de São francisco, Benicia, Lago Berryessa e Vallejo (onde o assassino cometera seus crimes) decidiram reabrir o caso, o mesmo permanece em aberto até hoje sem solução.

Na Realidade: Antes de tudo é importante dizer que os fatos que envolvem esse caso envolvem uma gama expressivamente grande de informação, o que caberia um artigo próprio, porem vamos tentar pontuar algumas informações importantes e se houver interesse futuramente dedicaremos um espaço exclusivo para o assassino conhecido como Zodíaco.

Tudo começou no dia 30 de outubro de 1966 na Califórnia. A estudante Chery Jo Bates de 18 anos saiu de casa e deixou um bilhete a seu pai dizendo que iria até a biblioteca para estudar, a garota saiu por volta das 17:00 horas e permaneceu na biblioteca até as 21:00 horas, neste intervalo um homem abriu o capô do seu carro e o adulterou, ao sair a garota entrou no carro e tentou dar partida, porem o mesmo não funcionou, desesperada aceitou carona de um homem que estava parado ali no estacionalmente, esse homem atacou Chery com 3 facadas iniciais em seu pescoço, gritos foram ouvidos em intervalos de aproximadamente 30 minutos, o que indica que a garota foi torturada nesse período de tempo, mais de 30 facadas desferidas por todo seu corpo, sua garganta e cordas vocais foram dilaceradas e sua cabeça quase foi decapitada, por fim a garota foi encontrada caída com uma faca cravada em seu ombro. Alguns dias depois a policia recebeu uma carta anônima de confissão pela autoria do crime, alguns meses depois um jornal fez um artigo sobre o caso, no outro dia o pai da vitima e o jornal receberam cartas do suposto assassino. Ainda hoje existem duvidas sobre o Zodíaco ser o autor desse crime, já que em uma devida época ele passou a assumir a autoria de diversos crimes que não cometeu, confundindo a mídia e a policia até os dias atuais.

Retrato falado do assassino zodíaco

O primeiro crime realmente reconhecido pela policia como de autoria do Zodíaco ocorreu dois anos depois, em dezembro de 1968, o casal David Faraday e Betty Lou Jensen estacionaram o carro em um local onde os jovens costumavam ir para namorar, um homem encostou o carro próximo a eles e desceu, ao se aproximar do veiculo dos jovens sacou uma arma, e matou friamente os dois, a garoto teve a cabeça estourada com um tiro próximo a orelha, já a garota foi baleada 5 vezes em quanto tentava fujir.

Em julho de 1969 outro casal seria vitima do Zodíaco, Mike Mageau e Darlene Ferrin voltavam do cinema quando perceberam que estavam sendo seguidos, Darlene acelerou o carro mas foi encurralada, um homem desceu portando uma lanterna, sacou uma arma e disparou cinco vezes contra os jovens, Darlene recebeu 5 tiros em quanto Mike tentava fujir e era alvejado, apesar de gravemente ferido inclusive com um tiro na mandíbula, Mike se fingiu de morto até que o homem fosse embora, seria ele então o primeiro sobrevivente do Zodíaco. Mike pode ver por um instante o rosto da assassino, possibilitando o primeiro retrato falado do Zodíaco. O jovem também relata que Darlene parecia conhecer quem a perseguia.

carta enviada pelo zodíaco a um jornal de são francisco no dia 26 de junho de 1970. o criptograma dessa carta nunca foi desvendado

Em agosto de 1969 o Zodíaco enviou 3 cartas para 3 jornais distintos, nelas ele descrevia alguns detalhes do crime como a arma utilizada, o que comprovaria que ele realmente era o autor dos mesmos, as cartas vieram com mensagens criptografadas, o que na verdade era uma carta só, dividida em 3 partes (para cada jornal). O assassino exigia que as cartas fossem publicadas no jornal, do contrario haveriam mais vitimas. Um casal de professores conseguiu decifrar parte da carta, nela o assassino descrevia porque gostava de matar e revela ser dono de uma mente doentia.

Em setembro o Zodíaco voltaria a fazer novas vitimas, dessa vez atacou um casal as margens de um lago em Berryessa, o assassino esfaqueou Cecilia Shepard e Bryan Hartnell diversas vezes, a garota morreu porem Bryan sobreviveu e foi a segunda vitima a escapar das mão do Zodíaco. Na porta do carro de Bryan o assassino escreveu com uma caneta hidrográfica uma mensagem com as datas das mortes anteriores. Bryan não conseguiu ajudar muito a policia, pois disse que o homem usava uma especie da capuz durante os ataques. Posteriormente uma nova carta foi enviada a mídia onde o assassino se intitulou pela primeira vez como “Zodíaco”.

A próxima vitima do Zodíaco foi um motorista de táxi que trasportava o assassino no dia 11 de outubro de 1969. Paul Lee Stine recebeu um tiro na cabeça em quanto ainda sentando pelo atirador que estava no banco de traz, uma pistola semi-automática 9mm fora usada no crime.

Paul foi a ultima vitima do Zodíaco reconhecida pela policia, embora o mesmo relate um numero superior a 30 pessoas, foi descoberto que o assassino adorava estar na mídia, fazia de tudo para chamar a atenção e confundir ainda mais a policia.

21 cartas foram enviadas pelo assassino, a maioria dos seus criptogramas continuam sem solução. Nas cartas ele fazia ameaças, aterrorizava a população, fazia diversas exigências e descrevia alguns de seus crimes.

Após a exposição na mídia, diversas cartas falsas foram enviadas aos jornais e a policia, houve também um auto numero de pessoas se entregando e assumindo a autoria dos crimes.

Apesar do pequeno exagero e da romantização empregada no filme de 2007, Robert Graysmith foi responsável por ajudar a policia de diversas formas na investigação sobre o caso Zodíaco, ele acredita veemente que Arthur Leigh Allen é o verdadeiro Zodíaco, seu livro de 1971 foi adaptado para o filme de 2007.

Mais de 2.500 pessoas foram investigadas como suspeitas, ainda existe uma lista com pelo menos 15 nomes de possíveis responsáveis pelo crime, porem assim que caiu na midia o caso virou um circo, provas se perderam e por falta de provas concretas o assassino nunca foi encontrado.

O Assassino do Zodíaco era incrivelmente inteligente e calculista, suas cenas de crime eram alteras por ele o que dificultava a resolução por parte da policia, ao longo dos nos em que se manteve em foco deixou algumas evidencias, como um relógio, uma pegada, retratos falados e até ligações que faziam para a mídia e a policia, mas por uma serie de fatores incluindo incompetência da policia nunca foi capturado.


E ai curtiu nossa lista? Decidimos fazer um top 5 para não ficar tão cansativo de ler, mas futuramente cabe uma parte 2, não? Acha que algum filme importante ficou de fora? A República do Medo quer saber sua opinião.


 

GOSTOU? ENTÃO COMPARTILHE!!!

Comente Aqui!

Comentários

Alguns posts que podem te interessar

Veja mais +