Eu sei, eu sei. Qualquer lista com “As Melhores Alguma Coisa” é sempre arbitrária. No entanto, nós do RdM buscamos criar uma lista que abrangesse títulos de tempos e temáticas diferentes para trazer à vocês aquelas produções que julgamos ter algum grau de êxito como uma sequência. No cinema, sequências sempre sofrem com a expectativa de ou fazer justiça a obra original ou salvar potenciais franquias que começaram com o pé esquerdo. Pensando nisso, e aproveitando a sexta-feira 13, selecionamos 7 longas que se mostraram tão bons ou melhores do que os seus antecessores, provando que é possível fazer filmes de qualidade que se atrelam á um universo já existente, ao mesmo tempo que se mostram competentes como um filme só.

7) Aliens, O Resgate (1986) – James Cameron

O primeiro da nossa lista não se enquadra puramente num filme de horror, mas é uma sequência excelente de um clássico do gênero (Alien, 1979). Conseguindo expandir o universo arquitetado brilhantemente por Ridley Scott no primeiro filme, James Cameron combina a ação e aventura que ele tanto domina com o tom de tensão que ele já havia utilizado em “O Exterminador do Futuro”. Filmaço mais leve pra começar a noite.

6) Ouija – Origem do Mal (2016) – Mike Flanagan

Temos aqui um exemplo de um filme que fez o que parecia impossível ao criar uma história tensa, com um domínio de linguagem preciso de seu diretor (o em ascensão, Mike Flanagan), não só se encaixando perfeitamente no enredo pavoroso do original, mas chegando a consertá-lo em alguns elementos – e se só digo alguns, é porque há elementos do original que nem deus seria capaz de arrumar.

5) Jogos Mortais II (2005) – Darren Lynn Bousman

O primeiro Jogos Mortais foi um verdadeiro fenômeno que colocou o nome de James Wan no mapa de Hollywood. Mesmo que com seus defeitos óbvios e furos de roteiro, o original deixou em suspensão a expectativa para sua sequencia que é constantemente colocado por fãs da franquia como o favorito. Com uma reviravolta mais interessante e indo na direção acertada de desenvolver o “vilão” da história,  a sequência dirigida por Darren Lynn Bousman merece ser lembrada nessa lista justamente por se sobressair frente ao estrondoso sucesso do seu antecessor.

4) Invocação do Mal 2 (2016) – James Wan

Se James Wan despontou com Jogos Mortais, Invocação do Mal 2 o colocou como o nome definitivo do cinema mainstream atual. Sabendo utilizar tanto dos Warrens como da própria história do Poltergeist de Enfield, Invocação do Mal 2 conseguiu superar para alguns críticos (inclusive este que vos escreve) a força do primeiro filme, trazendo uma liberdade criativa para o cineasta que poucos diretores possuem hoje em dia.

3) Sexta-Feira 13 – Parte 2 (1981) – Steve Miner

Sim, já batemos o suficiente na série protagonizada por Jason em nosso RdMCast. Contudo, devemos levar em consideração que: a) este é um dos poucos filmes realmente bons da série; b) é a primeira vez que um dos maiores ícones da história do cinema de horror apareceu. Claro, encapuzado e ainda seguindo várias convenções do gênero, Jason Vorhees se tornou um nome realmente marcante por estabelecer sua persona aniquiladora e pouco humanizada a partir desse filme… O que contribui muito para o tom de entretenimento que a franquia sempre demonstrou.

2) Evil Dead II (1987) – Sam Raimi

Devo admitir, gostaria de ter colocado este em primeiro, já que é um dos meus filmes de terror/comédia favoritos (junto de sua sequência Evil Dead III). Aliás, é justamente esta junção que o torna tão intrigante, com Sam Raimi sabendo fazer uma espécie de remake que fosse para outra direção, soasse referencial e inovador ao mesmo tempo e ainda fosse puro cinema em sua montagem ágil e seu jogo de câmera preciso e divertido. O primeiro filme obviamente procurava um tom diferente que alcançou seu sucesso, mas este segundo soube como cria ruma experiência cinematográfica energética, inesquecível e única.

1) Despertar dos Mortos (1978) – George A. Romero

Se não consegui colocar Evil Dead II em primeiro é justamente por este local estar reservado para uma obra-prima de George A. Romero: Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead). Com bom humor, um tom épico para uma situação interessante, sendo um marco para a história dos filmes de zumbis, com críticas sociais fantásticas e ainda a dose certa de claustrofobia e desenvolvimento de um “filme situação”, “Despertar…” consegue entreter e fazer pensar. Consegue ser melhor que seu antecessor e um dos melhores do subgênero “filme de zumbi”… Uma obra indispensável (apesar de longa) para todos aqueles amantes não só do bom terror, mas do bom cinema.

Compartilhe.