IMG_5958
1.0 / 5

Corra!

1

Corra
(Get Out)
Direção: Jordan Peele
Data de Lançamento no Brasil: 18/05/2017
Distrinuição: Universal Pictures

 

Apelando para um tema delicado na historia da humanidade, “Get Out” é falho e inexpressivo ao trabalhar o racismo de uma maneira distópica e completamente equivocada, entregando um roteiro obvio e enfadonho.

“Chris (Daniel Kaluuya) é um jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador.” (Imdb)

Moldado como um suspense, o filme se inicia com o casal Chris e Rose fazendo planos para visitar a familia da moça próximo ao lago, Chris questiona se os pais de Rose aceitariam a relação da filha com um cara negro, ela diz que apesar de ser o primeiro namorado negro que ela apresenta aos pais, os mesmo não viriam problema algum, e nesse ponto observamos que o filme utilizará o racismo como background de sua trama. Durante o trajeto de carro eles atropelam um cervo, o casal para, registra a ocorrência e segue viagem. Ao chegarem á casa dos pais da garota, Chris observa um comportamento estranho por parte de todos ali, os pais de Rose são extremamente amorosos, seu irmão é inconveniente e os dois empregados negros da casa agem como maquinas programadas a fazer e agir de uma forma específica. O pai de Rose é neurocirurgião e sua mãe é psiquiatra. Ao observarem que Chris tem o habito de fumar, eles insistem que o jovem faça uma seção de hipnose com a mãe da garota que promete livra-lo do vicio, e a partir desse momento até as mentes menos treinadas conseguem deduzir o desenrolar e o final do filme, e toda essa obviedade em trabalhar e construir um roteiro embasado no suspense é demasiadamente incômoda.
As obvias cenas que sucedem a trama, apenas cumprem tabela, coisas estranhas acontecem, todo o comportamento incondizente da familia se intensifica até seu desfecho ridiculo e mais que esperado.

Apesar de não utilizar nenhum efeito especial mirabolante o filme tem uma boa qualidade técnica, a direção acerta nos ângulos e enquadramentos de camera e consegue empregar um pouco de suspense a um roteiro tão falho. A trilha sonora é bem pontuada e as atuações vão de boas a regulares, alias há algumas caras bem conhecidas no filme, como Alison Williams, famosa por seu papel em “How I Met Your Mother”.

Infelizmente o ponto mais falho da trama sem duvida alguma é o roteiro, tratando o espectador como pseudo-intelectuais, tenta trabalhar elementos trajando-se de Christopher Nolan, mas sem a mesma qualidade, cenas onde o protagonista atropela um cervo, logo após o cervo é citado em uma conversa e por fim ele serve como ferramenta para o desfecho final, esfregando na cara do publico a falsa e falha ideia intelectual, dizendo “olha, usei o cervo aqui e ali e no fim você entendeu o porque né, viu como sou foda e como você que entendeu também é” algo totalmente desnecessário na proposta do filme, quando na verdade o elemento a ser trabalhado deveria ser o suspense que pouco exerce papel nesse filme. A subjacência do tema racismo é trabalho da mesma maneira, tentando passar a imagem de critica social, tentando mostrar a trama como uma metalinguagem para o racismo eminente na sociedade, quando na verdade a realidade sobre o tema é muito pior e diferente do que o filme tenta mostrar.

Em tempos de “Moonlight” e “12 Anos de Escravidão” eis que surge “Get Out” a visão mais distante e tendenciosa que um tema tão importante poderia ter.

GOSTOU? ENTÃO COMPARTILHE!!!

Comente Aqui!

Comentários

Alguns posts que podem te interessar

Veja mais +