Duas Coxinhas, a nova produção do diretor Léo Miguel, foi exibida em sessão exclusiva para a imprensa. O diretor também assina o roteiro, a produção e a edição. Ainda sem data de estreia, o curta passará primeiro pelo circuito dos festivais antes de ser exibido ao público em geral.

Os ótimos movimentos de câmera, já característicos do diretor, situam o espectador em um tradicional boteco no final do expediente. Os funcionários se despedem do patrão e se programam para a feijoada do dia seguinte, nada mais brasileiro. Um morador de rua entra no estabelecimento e pede por comida. É quanto uma tragédia se anuncia.

O curta é muito bem ambientado e conta com ótimas atuações. O texto é forte e não adianta muita coisas para o público. O roteiro nos puxa para aquele universo com uma tensão que cresce até um momento de explosão, quando fortes emoções vêm à tona.

A produção sabe muito bem utilizar cores, luzes, contrastes e, aqui fica um elogio, o sangue. Os 15 minutos de duração passam sem que percebamos, tamanha é a imersão proporcionada pelo curta. Esperamos que Duas Coxinhas tenha sucesso nos festivais e que em breve fique disponível ao público.

Uma resposta

  1. Your article gave me a lot of inspiration, I hope you can explain your point of view in more detail, because I have some doubts, thank you.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *